Órgãos de proteção ao crédito: O que são e para que servem?

órgãos de proteção ao crédito
faça justiça com a resolvvi

Quer saber o que são os órgãos de proteção ao crédito e para o que servem? Acompanhe o nosso artigo e fique por dentro das principais informações.

Fazer compras é muito bom, não é mesmo?

No entanto, arcar com os pagamentos de todas as contas, por muitas vezes, não é uma tarefa fácil.

Sobretudo no Brasil, onde os índices de inadimplência concordam com as taxas de desemprego, se manter com o nome limpo pode ser um verdadeiro desafio.

Nesse sentido, quando as contas não batem e dívidas são acusadas, é possível que o consumidor tenha o seu nome inscrito em um dos órgãos de proteção crédito que atuam no país.

Dentre eles, destaca-se o SPC e o Serasa, por exemplo.

Porém, mesmo sendo uma realidade, muitos brasileiros não sabem o que são ou para o que servem os órgãos de proteção ao crédito.

Pensando nisso, escrevemos este artigo para fornecer as principais informações.

👉 Seu nome está negativado por uma dívida que não fez ou que você já pagou? Exija seus direitos.

O que são os órgãos de proteção ao crédito?

Primeiramente devemos lhe deixar por dentro do que são os órgãos de proteção ao crédito.

Afinal, muitas pessoas ficam o nome inscrito em um deles, ou com o nome sujo, como é conhecido popularmente, sem sequer saber do que se tratam.

De modo geral, esses órgãos são os responsáveis pelas listas de inadimplentes no Brasil e servem para controlar essa ralação de pessoas com nome sujo, além de servirem como “termómetros” da reputação dos consumidores.

Desse modo, quando um consumidor possuir uma dívida e ela não for quitada, a empresa, banco ou instituição financeira tem o direito de informar aos órgãos de proteção ao crédito sobre o débito.

Com isso, se persistir, o nome do consumidor é inscrito nos órgãos e ele passará a ter o nome negativado.

Como já dissemos, além disso, eles servem como “termómetros” ou medidores da reputação dos consumidores, fornecendo informações sobre eles sempre que requisitado por uma empresa, banco ou instituição financeira.

No Brasil, os órgãos de proteção ao crédito de destaque são o SPC, o Serasa e SCPC Boa Vista.

Daí pode surgir o questionamento: SPC e Serasa são a mesma coisa? Sobre isso, falaremos mais no decorrer do artigo, portanto, fique atento(a).

Existem regras para negativação do nome?

Se a negativação pode se tornar realidade na vida de um consumidor, é compreensível que ele queira saber quais as regras para negativar o nome.

Afinal, se isso fosse feito de forma desenfreada, muito provavelmente pessoas sofreriam injustiças.

Com isso, listamos as cinco principais regras para que alguém tenha uma dívida inscrita nos órgãos de proteção ao crédito, veja:

  1. Geralmente o credor no Brasil tem por regra para negativar o nome do devedor, esperar até 30 dias antes da incluir no cadastro de inadimplentes.
  2. O credor normalmente manda pelo menos três avisos ao devedor,  antes da notificação aos órgãos de proteção ao crédito .
  3. O nome do devedor deve ser escrito de forma correta, e um dos cuidados que o credor deve ter antes de negativar o nome do devedor. 
  4. O credor ao negativar o nome do devedor deve respeitar as regras de negativação informando ao cliente os requisitos para a retirada do nome.
  5. Todas as empresas que negativam o cliente devem respeitar como regra para nome negativado, retirar o mesmo dentro do prazo legal.

Ou seja, antes de inscrever o nome de um consumidor nos órgãos de proteção ao crédito, os credores devem respeitar essas determinações.

Leiam também:Aprenda como limpar nome no SPC e Serasa grátis“.

E se meu nome for negativado indevidamente?

Bom, ao falarmos em órgãos de proteção ao crédito e em nome sujo, jamais podemos deixar de lado uma situação que, por mais constrangedora que possa ser, é recorrente.

Estamos falando de negativação indevida ou cadastro indevido no SPC e Serasa ou nome sujo indevidamente.

Isso ocorre quando uma empresa inscreve o nome de um consumidor em um dos órgãos de proteção ao crédito por uma dívida que não foi feita ou já foi paga ou por um serviço que não foi contratado.

Quando isso acontece, o consumidor tem dois direitos principais: a retirada imediata da negativação e receber uma indenização por danos morais por negativação indevida.

Portanto se você tiver o nome no SPC ou Serasa indevidamente, assim como no SCPC, conte com a Resolvvi para fazer justiça!

Avalie o seu caso grátis em nosso site e juntos entraremos com o pedido de indenização.

Tudo é feito de forma online, sem burocracia e você só paga pelo serviço se ganhar!

Além disso, devemos dizer que você precisará saber como comprovar a negativação indevida, confira abaixo!

comprovar negativação indevida

Dentre as provas recomendadas, o destaque vai para o comprovante de nome negativado.

Você pode consegui-lo indo diretamente no sites ou aplicativos dos órgãos de proteção ao crédito, na seção de dívidas negativadas ou de débitos já exibidos no mercado.

Além disso, você deve estar atento a o que vai precisar de acordo com o tipo de dívida, veja:

  • Para contas já pagas: comprovante de negativação, comprovante de pagamento, boletos e/ou faturas utilizados para realizar o pagamento e, se caso o pagamento tenha sido feito em um acordo, é importante ter também o documento que formaliza a negociação;
  • Em caso de serviços não contratados: nesses casos, você precisará apenas do comprovante de negativação;
  • Para negativação após cancelamento de serviço: comprovante de negativação e comprovante de cancelamento ou carta de quitação de débitos.

O importante é não deixar de exercer o seu direito.

A seguir, fique por dentro do que são e das funções dos órgãos de proteção ao crédito em atividade no Brasil, especificamente.

O que é o órgão de proteção ao crédito SPC?

O Serviço de Proteção ao Crédito é um dos órgãos mais conhecidos no país.

Esse órgão de proteção ao crédito é uma emprega de tecnologia vinculada à Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Com isso, ele é responsável pelo processamento das operações de crédito de todas as empresas sócias, por meio de um banco de dados.

Com o controle do banco de dados, o órgão é responsável pela base de dados que constam os nomes dos clientes inadimplentes com as empresas associadas.

Utilizando esses dados, o SPC auxilia as empresas no ato de concessão de crédito, ao analisar a reputação dos clientes.

Como consultar o nome do SPC?

Se você acha que está com o nome sujo no SPC ou quer apenas “tirar a prova”, é muito simples.

Nesse sentido, você pode fazer isso online, sem sair de casa, por meio do App SPC Consumidor ou no próprio site do órgão.

No entanto, vale informar que o serviço é pago.

Apesar do pagamento, a consulta é bem completa e dá direito a visualizar informações que vão além do registro de inadimplência e de protestos e cheques devolvidos.

Lá você terá acesso a dados cadastrais detidos por empresas associadas, como os últimos endereços e telefones.

Além disso você pode descobrir todas as consultas feitas ao CPF nos últimos 6 meses e eventuais créditos concedidos

O que são os órgãos de proteção ao crédito SCPC e Serasa?

Além do SPC, outros dois órgãos de proteção ao credito de importância no Brasil são o SCPC e o Serasa.

No entanto, os três órgãos têm basicamente a mesma finalidade, como o próprio nome propõe: proteger o crédito

Sobre o SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), ele funciona muito semelhantemente ao SPC, onde os dados trabalhados têm relação com empresas credenciadas.

E, por meio dos dados, auxilia os associados com análises de concessão de crédito e segurança nas operações.

Porém, quando falamos no Serasa, estamos falando em um empresa de análise e distribuição de informações para decisão de concessão de crédito a bancos e instituições financeiras.

Portanto, se você tem um débito com um banco ou com uma instuição financiera, o seu nome provavelmente está ou estará inscrito no Serasa.

Outro ponto em que o Serasa se destaca é pelo Score, que é uma pontuação muito importante para análise de crédito e reputação financeira dos consumidores brasileiros, utilizado para diversos fins.

Como consultar o nome SCPC?

Assim como no SPC, consultar o nome no SCPC Boa Vista é simples e pode ser feito de forma online, no site ou no app.

Portanto, se quiser fazer a consulta pelo site, siga o passo a passo:

  1. Em primeiro lugar, você deverá acessar o site do Consumidor Positivo;
  2. Lá você digitará seu CPF em um campo escrito “coloque seu CPF“, depois clique em “consultar CPF grátis“.

Mas se você preferir fazer a consulta pelo aplicativo:

  1. Baixe o app para android ou iOS;
  2. Se não tiver, você precisará fazer um cadastro. Depois informe seu CPF e clique em “Entrar“;
  3. Para finalizar o cadastro, caso não tenha, você informará dados pessoais e clicará em “próximo“. Um código será recebido por SMS, crie uma senha e finalize em “confirmar“;
  4. Na opção “dívidas vencidas” você terá acesso às possíveis pendências em seu CPF;
  5. Além disso, existem outros ícones para ter acesso a outras situações, como cheques devolvidos, protestos e até mesmo problemas com documentos na praça.

Como consultar o nome no Serasa?

Procurar como saber se o nome está negativado é uma medida que deveria ser tomada com certa frequência, afinal estar por dentro da situação do nosso poróprio nome é essencial.

Sendo assim, do mesmo modo que é possível consultar o nome no SPC e no SCPC de forma online, no Serasa também existe a possibilidade.

Portanto, se você procura como saber se seu nome está sujo no Serasa, através do site, basta seguir o passo a passo:

  1. Acessar o site da Serasa e clique em Consultar CPF grátis;
  2. depois digite seu login e senha. Se não tiver, faça um cadastro instantaneamente.
  3. por fim, clique em meu CPF e faça a consulta.

Mas se preferir fazer a consulta pelo app, o passo a passo é o seguinte:

  1. Baixar o app Serasa no google play ou apple store;
  2. após fazer seu cadastro, faça login com seu CPF e senha;
  3. por fim, na página inicial, basta acessar a aba Monitoramento de CPF ativo.

Quais as consequências de estar negativado?

Agora que você já está por dentro do que são e para que servem os órgãos de proteção ao crédito, é hora de saber sobre as consequências de estar com o nome inscrito em um deles.

Sabemos que estar com o nome inscrito nos órgãos de proteção ao crédito, por muitas vezes, é inevitável, afinal nem todo mundo consegue ter um bom controle de suas finanças.

Nesse sentido, além do constrangimento que isso pode gerar, outras consequências da negativação podem ser verdadeiras pedras no sapato de um consumidor.

Isso porque se o nome for sujo por uma dívida não paga, infelizmente o consumidor será vítima de muitas restrições, como:

  • Dificuldade para conseguir crédito e financiamento;
  • Não conseguir emitir talões de cheque;
  • Poder sofrer com rompimento de negócios em andamento;
  • Também pode não conseguir alugar imóveis;
  • Não conseguir comprar em lojas, principalmente por crediário, ainda mais aquelas que fazem consulta pelo CPF.

Desse modo, se torna muito importante estar sempre por dentro da situação do nome para que se evite constrangimentos no futuro.

Leia também:Cadastro indevido no SPC e Serasa: Como ser indenizado?“.

Como evitar a inscrição nos órgãos de proteção ao crédito?

Não tem outra saída: o que deve ser feito é economizar e não deixar as contas serem maiores que o orçamento total.

Desse modo, é interessante que o consumidor possua uma forma de organizar as suas finanças de modo mais preciso, como por meio de uma planilha de planejamento financeiro.

Nós da Resolvvi podemos lhe ajudar com isso, deixe seu e-mail abaixo e baixe a nossa planilha de planejamento financeiro:

Além disso, separamos outras dicas para economizar, veja:

  1. Registre tudo o que você gasta: seja na planilha ou no bom e velho caderninho, ter controle sobre tudo que foi e será gasto é essencial;
  2. Evite comer fora: comer em bom restaurante é uma ótima forma de desfrutar a vida, no entanto, quando isso acorre de forma excessiva, os gatos podem se tornar uma bola de neve;
  3. Vender coisas que você não usa mais: essa é uma boa saída para garantir uma renda extra, além de otimizar o espaço em casa;
  4. Vai ao supermercado? Monte uma lista: ir ao mercado e sair comprando tudo que se vê pela frente pode atrapalhar as suas finanças, preze sempre pelo necessário;
  5. Evite fazer compras desnecessárias ou prefira promoções: por mais gratificante que seja, fazer compras requer autocontrole!

Portanto, faça o possível para evitar estar com má fama nos birós dos órgãos de proteção e faça isso comece por economizar!

Conheça a Resolvvi

💡 Já parou para pensar no número de consumidores que nunca buscou seus direitos porque não os conhece bem ou acha que não vai dar em nada?

A Resolvvi é uma startup que tem como missão garantir o acesso à justiça para todos os brasileiros.

Este conteúdo é parte desse propósito e vai ajudar você a caminhar até os seus direitos como consumidor. Vamos com a gente?

Nos siga nas redes sociais:

E também faça parte da nossa comunidade de consumidores que não deixam barato e querem fazer justiça.