Veja as melhores dicas para ter uma viagem tranquila com crianças

Paula Braga da Resolvvi Escrito por Paula Braga da Resolvviem 26 de novembro de 2019
Veja as melhores dicas para ter uma viagem tranquila com crianças

Viajar com crianças e bebês, principalmente de avião, requer alguns cuidados especiais, tanto na preparação quanto durante a viagem, mas não precisa se tornar uma dor de cabeça!  Para isso, é importante ter um bom planejamento da viagem.

Pensando nisso, nós separamos algumas dicas para ajudar nessa organização e tornar prazerosa a experiência de viajar  com os pequenos.

A partir de que idade a criança pode viajar?

A idade mínima que a criança deve ter para embarcar varia de acordo com a política interna de cada Companhia Aérea, no geral é aceito o transporte de bebês a partir de 7 dias de vida. 

Porém, a recomendação médica é de que crianças com menos de dois meses de vida não façam viagens de avião, pois, além da pressão, bebês muito novos ainda estão desenvolvendo o sistema imunológico, e a aeronave (por ser um local fechado) pode facilitar a transmissão de algumas doenças.

Criança paga passagem de avião?

Para voos nacionais, crianças com menos de 2 anos normalmente não pagam passagem se estiverem acomodadas no colo de um adulto.

Nos casos de cobranças, o valor é referente a 10% do preço da passagem, como normalmente é cobrado para voos internacionais.

Para isso, porém, a criança deve ir no colo dos pais, dos responsáveis ou de um acompanhante maior de 12 anos (nesse caso, ambas acompanhadas de uma pessoa maior de 18 anos responsável).

Vale ressaltar que só é permitida uma criança de colo por passageiro adulto pagante.

Acima dos 2 anos, é obrigatório que os pequenos sejam acomodados em um assento e os valores das passagens variam entre 50% e 75% do preço total da tarifa.

Muitas companhias oferecem facilidades para quem viaja com crianças, como as opções de comida especial e berço desmontável, mas nem sempre estas informações são amplamente divulgadas e é preciso solicitá-las com alguma antecedência.

Além disso, para voos de longa duração, é recomendável dar preferência a horários em que os pequenos costumam dormir mais (normalmente viagens noturnas), respeitando o ritmo da criança para evitar desgastes no trajeto.

Quais os documentos necessários para viajar com crianças?

Para voos internacionais, independentemente da idade da criança, o passaporte é indispensável. Além disso, de acordo com a exigência do país de destino, o visto também pode ser necessário.

Caso a viagem para o exterior ocorra na presença de ambos os pais, basta que eles levem os documentos exigidos pelo país de destino, não sendo necessária a autorização para viajar com a criança.

Se a criança estiver acompanhada de apenas um dos pais, é necessária uma autorização do genitor que não vai embarcar. O documento assinado deve ser apresentado em 2 vias originais, com firma reconhecida.

Para que crianças ou adolescentes viajem acompanhados de terceiros, ambos os pais devem autorizar.

Já para voos nacionais, caso a criança não possua passaporte, a certidão de nascimento ou RG são suficientes na hora do embarque. 

Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, menores de 12 anos precisam estar acompanhados de, pelo menos, um dos pais ou parentes maiores de 18 anos. 

Para menores viajando com os avós ou com os tios, por exemplo, é possível comprovar o parentesco com a certidão de nascimento.

Caso contrário, é necessária uma autorização judicial (com firma reconhecida) para que ele embarque com outro acompanhante. 

Antes de viajar, as crianças devem ir ao pediatra

Antes de qualquer viagem, independente da idade da criança, é importante levá-la ao pediatra pouco antes para verificar se está tudo bem com sua saúde. Se estiver com algum tipo de doença que deixa o nariz constipado, por exemplo, é melhor evitar levá-la no avião, pois essa condição pode aumentar a dor no ouvido durante a aterrissagem. 

É importante, também, portar a carteira de vacinação, não só para a viagem de avião quanto para caso o pequeno adoeça no local de destino.

Que levar na bagagem ao viajar com crianças?

Viajar com filhos pequenos exige uma bagagem de mão para qualquer tipo de imprevisto com roupas extras, alimentos, além de itens para distração das crianças(como brinquedos e livros).

No entanto, é recomendável não tornar a mala de mão muito pesada e prestar atenção também nas medidas permitidas para o embarque, dando preferência para o uso de mochilas (que permitem uma maior liberdade para mãos e braços dos acompanhantes).

De acordo com a Anac, a franquia de bagagem é definida por critérios de segurança, seguindo o peso máximo de decolagem do avião.

Em voos domésticos, você poderá despachar até 23 kg, incluindo bagagem especial, como carrinhos.

A quantidade é baixa, por isso, na hora de fazer a mala, selecione coisas que realmente irá usar e deixe de fora utensílios de que não precisará.

Nos voos internacionais, essa franquia aumenta, mas é variável conforme a companhia aérea. Antes de fazer a mala, vale se informar sobre isso para não pagar por excesso de coisas.

É permitido embarcar com alimentação para bebês (como mamadeiras, leite e papinhas) na bagagem de mão, mas apenas nas quantidades que serão utilizadas durante o voo.

De acordo com a Anac, os alimentos devem ser apresentados no momento da inspeção, ou seja, na hora do raio X da mala de mão.

Quanto ao carrinho de bebê, é possível usá-lo até o momento do embarque, quando os funcionários da companhia recolhem esse tipo de objeto para acomodá-lo no compartimento de bagagens.

Já na hora do desembarque, o carrinho pode ser retirado na porta do avião ou na esteira rolante. Os carrinhos normalmente não contam como bagagem, mas é importante confirmar junto à Companhia Aérea antes do embarque.

Embarque e acomodação

Ainda que pessoas com crianças de colo tenham preferência na hora de entrar no avião, o ideal é que o embarque seja feito depois de todo mundo.

Isso porque quanto menos tempo a criança ficar dentro do avião, menor a chance de ela se irritar.

Caso tenha outro acompanhante viajando junto, ele pode embarcar na fila prioritária e acomodar as malas antes.

Se a criança é de colo, procure ficar no primeiro assento, pois tem mais espaço para os pés. Se for um pouco maior, prefira os assentos em que o apoio de braço levanta, assim a criança poderá deitar no seu colo.

Dependendo da companhia aérea, pode ser solicitado antes do embarque um bercinho adaptado para os bebês.

Se a empresa não disponibilizar esse serviço, levar uma almofada pode ser uma estratégia para deixar a criança mais confortável no colo ou no próprio assento. 

Caso tenha sido comprada uma passagem para a criança, o bebê conforto também pode ser acomodado no assento.

Durante a viagem: dicas para viajar tranquilamente com crianças

Uma boa maneira de deixar o ambiente confortável para os pequenos é diminuindo a luminosidade, pois as chances de pegar no sono com mais facilidade aumentam. 

Além disso, evite dar cafeína ou chocolate para as crianças pouco antes do vôo, pois são substâncias as deixam mais agitadas.

É importante ter atenção redobrada durante a decolagem e a aterrissagem. Os bebês, principalmente, podem sofrer mais nesses momentos por conta da pressão no ouvido.

Se o bebê ainda mama no peito, a sucção pode fazer com que ele se sinta mais confortável, a mamadeira ou a chupeta também ajuda a aliviar a pressão. Para crianças um pouco maiores, mastigar algo pode ajudar a aliviar a pressão.

Quanto à troca de fraldas, normalmente os banheiros dos aviões dispõem de trocadores, mas no caso da aeronave não ter um local reservado para tal missão, é possível solicitar ajuda da tripulação para trocar a criança.

Quer conferir mais dicas para viajar com crianças? Veja 5 dicas para viajar com crianças. Boa leitura!


Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!